Empresário acusado de dirigir bêbado e matar adolescente vai a júri, e mãe da vítima desabafa: ‘Arrancou meu filho de mim’

Compartilhar esta postagem

A Justiça de Goiás mandou a júri popular o empresário Christiano Mamedio da Silva, de 35 anos, acusado de dirigir bêbado e matar o adolescente Emanuel Felipe Pires Martins, de 15, e o jovem Eurípedes Tomé da Costa Filho, de 26, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Conforme a decisão da 4ª Vara Criminal do Tribunal do Júri e Execução Penal de Anápolis, o julgamento deve acontecer no dia 28 de agosto deste ano.

O acidente aconteceu no dia 3 de outubro de 2020, na Avenida Brasil Sul, no Bairro São João. Christiano dirigia uma caminhonete, quando furou o sinal vermelho em alta velocidade e atingiu um caminhão carregado de tijolos. Desde o dia do acidente, Michelle Pires, mãe de Emanuel, prometeu que o filho não seria só mais uma estatística e luta por justiça.

“Eu não aceitava nada. Eu queria estar sóbria para entender quem arrancou o meu filho de mim”, disse Michelle Pires, mãe de Emanuel, em vídeo publicado nas redes sociais.

No veículo atingido, havia três pessoas, o motorista, Emanuel e Eurípedes. Os dois últimos foram arremessados para fora do caminhão e não resistiram aos ferimentos. O motorista se machucou e foi socorrido.

Segundo as investigações, o empresário estava voltando de uma festa no momento do acidente. À época, Christiano não aceitou fazer o teste do bafômetro, mas admitiu que havia ingerido álcool antes de dirigir.

O empresário ficou 46 dias preso, mas foi solto e responde em liberdade por duplo homicídio, lesão corporal, por dirigir embriagado e trafegar em velocidade incompatível com a segurança. Em julho de 2022, em uma decisão unânime e histórica, o TJGO determinou que o empresário vá a júri popular.

Michelle disse que a dor da ausência será eterna e nunca saberá como seria o filho, que hoje teria 19 anos, mas a Justiça trará paz para seu coração.

“Enterrar um filho é ser enterrada viva, é ser mãe de um futuro que nunca será. A dor da ausência será eterna. Nós aprendemos a conviver com ela, tem dia que ela fica mais escondida e dia que fica completamente exposta. A justiça trará paz ao meu coração”, desabafou Michelle.

Em sua denúncia, o Ministério Público de Goiás (MPGO) disse Christiano “de forma livre e consciente, assumindo o risco de produzir o resultado, na condução de veículo automotor, matou as vítimas”. Pela primeira vez, um crime de trânsito que resultou em morte foi reconhecido como doloso em Goiás.

Facebook Comments Box
Please follow and like us:
Pin Share

Mais para explorar

A informação ao alcance do seu like. Nordeste e leste goiano.

Compartilhe

Sobre

Links principais

RSS
Follow by Email