Golpe do falso leilão: veja como agiam presos suspeitos de fazer mais de 30 vítimas em Goiás

Compartilhar esta postagem

Pelo menos 30 pessoas em Goiás foram vítimas de um site de falsos leilões de veículos. Os suspeitos agiam através de um site que funcionava a partir de um grupo em São Paulo e foi descoberto por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC).

Após a identificação do grupo que realizava falsos leilões na internet, a Polícia Civil (PC) de Goiás, em um trabalho conjunto com a Polícia Civil de São Paulo, cumpriu na última quarta-feira (6), 3 mandados de prisão e 5 de busca e apreensão.

Após o cumprimento dos mandados, foi feito pelas polícias uma cartilha ensinando a população a identificar um site de falso leilão. A divulgação foi realizada nesta segunda-feira (11), em uma coletiva de impresna em Goiânia.

Os suspeitos utilizavam sites falsos de leilão de veículos para atrair as vítimas e, após o cadastro e participação das vítimas em um leilão dissimulado, elas eram induzidas a efetuar o pagamento do valor referente ao veículo “arrematado”, com a transferência dos valores para integrantes do grupo. Após o pagamento, quando as vítimas se deslocavam para o suposto pátio da “leiloeira” para retirar o veículo, ela se dava conta de que o pátio não existia ou que o leilão era falso..,

O grupo cria um site falso de leilão de veículos, muitas vezes clonando sites de leiloeiras verdadeiras ou utilizando sites com referência a órgãos públicos (Detran, Tribunais de Justiça, Receita Federal, etc.).

Esses sites criados reproduzem as mesmas funcionalidades dos sites verdadeiros, com informações de “lotes” (veículos a serem arrematados) e “leilões” ocorrendo em tempo real com possibilidade de realização de lances, inclusive com informações de SAC e contato (números que são direcionados aos suspeitos);

As possíveis vítimas são atraídas a estes sites falsos em razão do oferecimento de veículos abaixo do preço de mercado; a partir disso, as vítimas são chamadas a efetuar um cadastro nos sites de leilão falso com o fornecimento dos seus dados completos (nome, nº de documentos endereços e inclusive foto da CNH e selfie) a fim de possibilitar a participação no “leilão”;

Posteriormente, ao participar do “leilão” de algum lote (veículo), as vítimas conseguem facilmente saírem vencedoras, a partir de então, os suspeitos iniciam através de chamadas telefônicas e troca de mensagem via WhatsApp diálogo com as vítimas a fim de induzirem a efetuar a transferência do valor correspondente ao “lote arrematado”;

A vítima recebe o “termo de arremate” (documento falso) e dados do “lote” (veículo arrematado), acreditando que de fato participou de um leilão verdadeiro, em razão dos artifícios empregados, efetua o pagamento do valor do “lote arrematado” mediante transferência PIX ou TED para a conta de um beneficiário do golpe, podendo ser uma pessoa física ou jurídica.

Facebook Comments Box
Please follow and like us:
Pin Share

Mais para explorar

A informação ao alcance do seu like. Nordeste e leste goiano.

Compartilhe

Sobre

Links principais

RSS
Follow by Email